O que aprender com a nova marca do Google

doodle-nova-marca-googleFonte: Google Doodles.

Todo mundo já viu, compartilhou, se surpreendeu (ou não) e deu seu pitaco. Lançada mundialmente na última terça-feira (01/09), a nova marca do Google chegou mesmo para ficar – goste você ou não!

A mudança, a segunda em menos de dois anos, ocorreu pouquíssimo tempo depois de a gigante das buscas anunciar a criação da empresa-mãe Alphabet. Na verdade, trata-se de uma holding que reunirá todos os serviços conectados sobre uma só companhia, a Google Inc. Com isso vê-se a maior reestruturação do negócio em toda sua história.

De acordo com Tamar Yehoshua, Vice-presidente de produto, e Bobby Nath, Diretor de Experiência do Usuário:

“Essa não é a primeira mudança na nossa aparência e provavelmente não será a última, mas nós acreditamos que a atualização de hoje é um grande reflexo de todos os jeitos que o Google trabalha para você por meio da busca, Maps, Gmail, Chrome”.

É interessante notar que o trabalho não foi uma simples reestilização de logotipo, mas sim uma interferência na marca de forma mais ampla. Além de ter adotado letras mais simples (sem serifa) e tonalidades um pouco mais fortes, a empresa aposentou aquele pequeno “g” azul, colocando em seu lugar um novo “G” com todas as cores empregadas. Foram inseridos ainda outros elementos como o ícone do microfone, que ajuda a identificar a possibilidade de realizar pesquisas por voz.

nova-marca-google-elementosFonte: IDG Now.

5 lições da nova marca do Google

Deixando de lado a divisão de opiniões sobre a “beleza” do logo, a ocasião pode ser utilizada para observar alguns fatores importantes sobre a construção de marcas, ou melhor, sobre a renovação delas. Se você tiver uma empresa aproveite para aprender algumas coisas…

1. Flat é o poder

As formas extremamente simples, limpas e chapadas, principalmente, do novo logotipo reforçam ainda mais os valores do Flat Design, que já vinha sendo seguido pelo Google. Mas agora ficou tudo ainda mais nítido.

Essa tendência tem a ver com a necessidade de garantir a visibilidade, compreensão e identidade da marca nas diferentes telas disponíveis atualmente, sobretudo nas pequenas. Por isso a ordem é simplificar ao máximo.

Esqueça aqueles traços rebuscados, os efeitos degradê e os detalhes minuciosos. Sua empresa tem que ser (bem) vista independentemente da plataforma em que for aparecer. E, acredite, ela terá de passar por muitos lugares.

2. Não dá mais para ignorar as plataformas móveis

É justamente o que estava sendo dito. Com a popularização dos diversos tipos de dispositivos, novos espaços, formatos e tamanhos também tiveram de ser explorados. No intuito de sobreviverem em meio a essa variedade de mídias, as marcas tiveram de se adaptar, com especial atenção às dimensões reduzidas dos smartphones, que hoje são uma espécie de extensão do ser humano. Para aquelas que são próprias do ambiente digital tal necessidade é ainda mais gritante.

Segundo o Google, os elementos criados compõem uma nova linguagem visual que reflete essa realidade.

“Como você vai ver, nós colocamos o logo e a marca do Google, que foram originalmente desenhados para uma página de desktop, e os atualizamos para um mundo em que a computação acontece de forma imperceptível, através de um número infinito de dispositivos e de diferentes formas de interação (seja toque, teclado ou voz)”.

3. É preciso se renovar

Se uma companhia tão moderna e já tão consolidada mundialmente como o Google empreende vários esforços para se manter atual, por que o seu negócio não faria o mesmo?

Ninguém está imune à mudança dos tempos, dos conceitos, dos paradigmas. Novas linguagens emergem e é preciso buscar dominá-las com rapidez para se manter relevante no mercado.

Construir uma jornada de sucesso exige saber aproveitar com criatividade as nuances e as potencialidades de cada época. E a sua marca, qual história ela conta?

4. Integração é primordial

Uma Identidade Visual bem construída deve oferecer soluções que permitam interligar os diferentes produtos e serviços de modo a sustentar uma imagem coerente, sólida e destacada.

As formas e cores aplicadas nos múltiplos aplicativos do Google nessa nova fase ilustram a importância de saber articular as características estéticas da marca em situações distintas, porém, com simplicidade e personalidade.

5. Esteja preparado para as críticas

Se nem Jesus, quer dizer, o Google agradou a todos…

Voltada ao público especializado do Marketing e Publicidade, a revista Advertising Age (AdAge) promoveu nos Estados Unidos uma enquete online para saber o que sua audiência achou das novas letras coloridas do buscador mais popular do mundo. E advinha o resultado? 60% dos participantes reprovou a novidade.

Pois é, nem todos recebem bem as mudanças, mas isso não significa que elas não sejam necessárias. No entanto, é indispensável ter plena consciência sobre sua necessidade, pois só assim elas poderão ser realmente funcionais. Mesmo que estranhem no começo, as pessoas irão se acostumar diante das reais vantagens.

Referências: G1, IDG Now, TechTudoOficina da Net.

1
Categoria: Design e Criatividade

Uma resposta a O que aprender com a nova marca do Google

  1. Vânia disse:

    Olá! Gostaria de citar um trecho desse texto no meu artigo. Poderiam me fornecer o nome do autor?
    Grata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *