80% das empresas investirão mais em Marketing Digital em 2015

investimento-marketing-digital-2015

Fonte: Giro Imobiliário Brasil.

Você e sua empresa ainda podem estar se recuperando do carnaval, mas a concorrência já está pensando longe em como alavancar seus negócios em 2015. Um dos caminhos mais usados para tanto será o Marketing Digital, estratégia que se aplica a todos os tipos de empresas.

De acordo com a pesquisa “O Futuro do Marketing Digital”, realizada pela Mondo80% das companhias planejam aumentar seus orçamentos de Marketing Digital ao longo dos próximos 12 a 18 meses. O estudo foi baseado em um levantamento online feito com 262 executivos, tanto de business to consumer (B2C) quanto de business to business (B2B).

Entre as empresas que afirmaram o aumento de verba na estratégia, 40% disseram que o incremento será de 5% a 10%. Outras 32% informaram que o aumento irá variar entre 10% e 15%, enquanto os 9% restantes pretendem avançar até 5%.

Contratação de talentos

contratacao-profissionais-marketing-digitalSegundo a vice-presidente de estratégia de Marketing Digital da Mondo, Laura McGarrity, um desafio comum na área é a contratação de grandes profissionais.

Embora as empresas, finalmente, têm obtido orçamento para fazer isso, algumas barreiras ainda dificultam o processo, tais como: Ausência de talentos qualificados (citado por 65% dos entrevistados); custo de uma equipe de qualidade (30%); atração dos talentos de topo (21%); retenção dos talentos de topo (16%); cultura de ajuste (26%).

Outra constatação foi a mudança da força de trabalho para um modelo mais “elástico”, definido pela combinação de funcionários contratados e freelancers. Como observa a executiva:

“Temos visto a mudança de uma força de trabalho permanente para uma mão de obra freelance. É uma mudança. O marketing não tem sido conservador sobre a contratação de recursos“.

Hoje, 42% das empresas possuem 100% de funcionários sob contrato. Mas, nos próximos 12 a 18 meses esse número deverá ser reduzido para 23%. Por outro lado, enquanto apenas 1% das companhias é composta por um mix 50/50 de funcionários permanentes e contratados, essa proporção deverá aumentar para 30% dentro do mesmo período citado.

Qualificações valorizadas

As qualificações profissionais mais buscadas pelas contratantes são – o que já dá para ter uma ideia dos tipos dos serviços que seu negócio precisará:

  • Conhecimentos digitais/sociais (54%);
  • Criação de conteúdo (44%);
  • Big Data/Analytics (33%);
  • Estratégia móvel (30%).

É interessante observar que a busca por habilidades tradicionais de marketing são as mais baixas na lista. Apenas 24% das organizações planejam contratar profissionais de marketing para serviços criativos e 22% para conhecimento de produto/marca.

Plataformas promissoras

O estudo quis saber também quais são as plataformas digitais que para os entrevistados deverão conquistar um maior envolvimento do cliente no futuro. Para 24% dos respondentes o ambiente mobile é hoje um dos principais impulsionadores de engajamento. Porém, frente aos próximos três a cinco anos, o volume daqueles que acreditam nessa premissa é de 70%.

Outros 13% consideram os vídeos como o principal motor de envolvimento atualmente, mas com relação ao futuro o percentual pula para 61%. Já as Mídias Sociais são apontadas por 38% dos participantes no presente momento, e por 49% ante os anos que estão por vir.

Referências: ProXXIma, Blog XNEO.

1
Categoria: Marketing Digital

Uma resposta a 80% das empresas investirão mais em Marketing Digital em 2015

  1. O acesso às redes sociais creio que seja um dos principais motivos do elevado interesse em contratar analistas de redes. SEO e outros profissionais que trabalham com criação de conteúdo otimizado também passam por um bom momento. Isso está longe de ser ruim, mas reflete mudanças no mercado. O mercado de trabalho do marketing está em constante mudança, pois antes os profissionais de criação eram os mais procurados. Essa procura diminuiu, mas a importância desses profissionais, não. O mesmo se aplica às redações jornalísticas: menos repórteres nas redações, mas menos conteúdo de qualidade na praça…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *