Vendas de Natal devem ser mais modestas em 2014

expectativas-vendas-natal-2014Fonte: Vanksen.

Você atua no Comércio Eletrônico ou no varejo tradicional? Então é bom estar preparado para um Natal menos recheado este ano.

O consumidor está endividado, a restrição de crédito maior e a inflação em crescimento. Além disso, o poder de compra da classe média diminuiu e a situação econômica geral do país não passa muita confiança. Para agravar, a Black Friday antecipou muitas compras, roubando boa parte dos investimentos que seriam agora para o final do ano.

Aliás, as datas sazonais em 2014 foram consideravelmente abaladas. Fatores como a Copa do Mundo, especialmente, ofuscaram o Dia dos Namorados e o Dia dos Pais, por exemplo. O resultado, claro, foi um desempenho mais baixo nesses momentos.

Mas não está tudo perdido. Voltando ao Natal, uma pesquisa feita pela Hello Research mostrou que 73% da população pretende comprar pelo menos uma lembrancinha para a data. O índice, porém, apresenta uma redução de nove pontos percentuais na comparação com o ano passado.

“Não estamos mais falando em dar presentes que sejam fundamentais à pessoa. Esse será o Natal da lembrancinha, em que serão dados mais itens por um valor menor. É algo da nossa pátria querer agradar sempre, e isso é favorável aos empresários” – Arão Sapiro, Mestre em Estratégia e Gestão e Professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Entre os itens de maior destaque estão as roupas, sobretudo relacionadas ao público feminino e infantil. Segundo o estudo da Hello Research, 75% dos consumidores irão buscar presentes nas lojas de moda e acessórios, especialmente entre as mulheres. Itens de beleza e pequenos mimos vendidos em supermercados também devem se sobressair.

E veja que interessante, os alimentos premium passaram à categoria de artigos presenteáveis, como cervejas, vinhos, cestas especiais e chocolates finos. Já os produtos natalinos tradicionais devem continuar na mesa do brasileiro, embora as principais marcas possam dividir espaço com outros selos de menor custo.

Expectativas de vendas são revisadas para baixo

baixas-expectativas-vendas-natal

Tudo indica que o Natal 2014 ficará realmente marcado por aquisições mais controladas por parte dos consumidores.

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) revisou para baixo, pelo segundo mês consecutivo, as expectativas de crescimento com relação à data.

A entidade prevê agora que o volume de vendas natalinas do comércio varejista em 2014 deverá registrar alta de apenas 2,3%, índice menor do que o desempenho de 2013 (+5,1%) e inferior às previsões recentemente realizadas pela Confederação (+3,0% em setembro e +2,6% em outubro).

Diante dessas previsões se torna crucial como as lojas e empresas planejarão suas ações para a maior data do varejo nacional. Apesar das restrições, as boas estratégias devem conseguir driblar as maiores dificuldades e oferecer condições um pouco mais favoráveis aos clientes. Assim, suas chances de ter motivos para comemorar podem continuar alimentando as esperanças de um Natal acima da média.

0
Categoria: Comércio Eletrônico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *