Entrevista com Edson Mackeenzy sobre produção de vídeos para MPEs

As marcas estão cada vez mais atentas para a questão do conteúdo, ou Branded Content, como preferir. Se antes elas focavam seus investimentos nos intrusivos anúncios para mídias tradicionais, hoje elas vêm se esforçando para conquistar o consumidor sob uma perspectiva mais espontânea, criativa, de caráter relacional e de alta relevância à vida do mesmo.

O conteúdo buscado precisa ser rico, interativo, atualizado e, sobretudo, de grande utilidade para o público-alvo. Textos e imagens não são mais suficientes. É necessário ir além, contando com a ajuda dos vídeos, que possuem maior apelo de atenção e envolvimento. Mas como pequenas e médias empresas podem produzi-los? Como distribui-los de modo eficiente? E como a internet deve ser utilizada para esse fim?

Bom, quem vai falar sobre essas e outras questões relacionadas ao tema “Conteúdo em vídeo para MPEs” é Edson Mackeenzy, entrevistado por Endrigo Campos, nosso redator, no Blogando 2013.

endrigo-campos-edson-mackeenzy-blogando-2013

Endrigo Campos e “Mack”, CEO e fundador do portal Videolog.tv, expert em transmissão e compartilhamento de vídeo, mentor em aceleradoras e startups e conselheiro de estratégia.

ENDRIGO – Por que as pequenas empresas devem investir na utilização de vídeos?
MACK – Uma dica que eu tenho para dar é tentar fazer tudo para a geração de conteúdo, porque não importa se você está vendendo uma roupa, se você está vendendo o serviço de um dentista ou se você é um fabricante e está criando um produto. Independentemente da situação é necessário adotar meios capazes de gerar visibilidade, e eu sou muito fã da produção de conteúdo para isso. Pode ser em texto, em imagem ou em vídeo. O que eu sempre levanto a bola é que o conteúdo em vídeo é melhor, porque ele consegue converter “50 vezes” mais interação e compreensão de uma mensagem do que apenas um texto ou uma imagem.

ENDRIGO – O que as MPEs devem levar em consideração quando decidir usar vídeos em sua estratégia?
MACK – Antes de qualquer coisa, quero dizer que também sou publicitário e que todo meu trabalho hoje é voltado para as pequenas e médias e, em alguns casos, até micros e “nanos”. O que acontece, muitas vezes, é já sair pensando em uma “campanha net”. Eu trabalhei naquela campanha do “Oral B Complete”, que é um exemplo do que estou falando. Ou seja, ela ligou o Brasil todo, era algo grandioso e deu resultado.

No entanto, é preciso compreender cada realidade, cada “escala”, e saber que é possível fazer um trabalho igualmente incrível em um âmbito regional. Na verdade, eu sou muito mais fã das campanhas pequenas e focadas. Tudo o que é feito para as grandes, é possível fazer com a mesma qualidade e a mesma propriedade para as pequenas e médias.

ENDRIGO – Que tipo de problema pode surgir para a produção dos vídeos nesse contexto?
MACK – Como eu disse, muitas companhias acham que só vão ter sucesso se fizerem algo grandioso. Aí são necessários dois processos: 1. O criativo precisa pensar nas diversas possibilidades que pode aproveitar de modo mais focado para a campanha; e 2. Ele precisa ter a habilidade de convencer o cliente de que isso é o melhor para ele.

Ou seja, o criativo deve saber vender a ação, dizendo, por exemplo, para o dono de uma padaria: “Olha, vamos fazer um vídeo explicando a história do seu negócio, contando como você começou… Vamos contar também a história do seu padeiro, das pessoas envolvidas…”. O profissional tem que saber apresentar isso e também mostrar depois os resultados, os indicadores mais relevantes, enfim, o ROI gerado pela ação, pois, de qualquer maneira, o cliente não estará ali à toa. Ótimo que ele aceite o conteúdo proposto, mas ele também vai querer ter noção de como os resultados surgiram.

ENDRIGO – Como as MPEs podem compartilhar seus vídeos? Que caminhos seguir?
MACK – Volume de compartilhamento é um número muito complicado. Um vez um cara me disse: “Eu queria ter mais audiência no meu canal, a gente já conseguiu acumular 10  milhões de visualizações de todos os nossos vídeos”. Então, eu perguntei: “Qual o tema dos seus vídeos?”, e ele disse que fazia um programa falando sobre Portugal. Questionando-o mais uma vez ele me informou que Portugal tem cerca de 12 milhões de habitantes. Ou seja, ele tinha quase 100% de audiência.

Bom, indo até mesmo além do exemplo, é esse tipo de percepção que precisa ser levado em conta. Pensar só em volume de compartilhamento não interessa. É necessário saber antes se quem está vendo e compartilhando seu vídeo é mesmo seu potencial cliente. É muito melhor ter menos compartilhamentos e aumentar o volume de relação com as pessoas, pelo CRM, do que simplesmente ter um número gigante de compartilhamento que, na verdade, você pode comprar de qualquer robô na internet.

Muito bem, estão aí as dicas do Mack. No próximo post você confere a entrevista com o blogueiro e editor do site Meio Bit Carlos Cardoso, que falou um pouco pra gente sobre Blogs Corporativos para pequenas empresas.

Esperamos sua companhia 😉

0
Categoria: Marketing Digital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *