Faturamento do Comércio Eletrônico cresce 24%

R$ 12,74 milhões, foi esse o faturamento conquistado pelo Comércio Eletrônico no primeiro semestre deste ano, conforme pesquisa da e-bit, que envolveu 9 mil lojas virtuais. A marca representa um crescimento de 24% com relação ao valor obtido no mesmo período de 2012.

faturamento-comercio-eletronico-2013

De janeiro a julho foram realizados cerca de 35,54 milhões de pedidos via internet, 20% a mais do que nos 6 primeiros meses do ano passado. O desempenho registrado fez com que as transações de E-commerce no país representassem 60% do total contabilizado em toda a América Latina.

NOVOS E-CONSUMIDORES E TICKET MÉDIO

De acordo com a pesquisa, no primeiro semestre, pelo menos 46,16 milhões de consumidores fizeram ao menos uma compra online, sendo que 3,98 milhões realizaram sua primeira transação no Comércio Eletrônico.

Com relação ao ticket médio houve um aumento de 4%, chegando ao valor de R$ 359,49. A alta decorre, sobretudo, da elevação do preço dos produtos eletrônicos e informática.

As categorias de produtos que se destacaram, em volume de pedidos, foram: Moda e Acessórios (13,7%); Eletrodomésticos (12,3%); Cosméticos e Perfumaria, Cuidados Pessoais e Saúde (12,2%); e a própria Informática (9%).

M-COMMERCE

mobile-commerce-perspectiva

Uma informação interessante de observar é o significativo crescimento que tiveram as transações feitas por meio de dispositivos móveis. Como revelou a e-bit, em junho o Mobile Commerce, ou simplesmente M-commerce, respondeu por 3,6% das vendas totais do Comércio Eletrônico no país, quando há um ano a participação dessa modalidade foi apenas de 1,3%.

Para Pedro Guasti, diretor geral da empresa, os dispositivos móveis devem dominar em breve o E-commerce, sendo que para 2014 a estimativa é que o M-commerce já represente 5% das transações online.

PERSPECTIVAS

Até o fim de 2013, a perspectiva de faturamento para o setor continua sendo de R$ 28 bilhões, o que seria um avanço de 25% em relação ao ano anterior, quando a movimentação foi de R$ 22,5 bilhões. Já o número de e-consumidores deve chegar a 51 milhões, com 4,9 milhões de novos compradores.

0
Categoria: Comércio Eletrônico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *