Como pequenas empresas podem desenvolver seu storytelling

A Publicidade está ficando cada vez mais cheia de histórias, mas isso não é por acaso não, é proposital mesmo.

A estratégia do storytelling tem sido explorada como uma nova oportunidade de (re) aproximação com os consumidores, já avessos aos tradicionais apelos. A cada dia pipocam marcas que estão investindo nesse método, que tem no emocional o seu grande trunfo.

Assim, exemplos de campanhas, anúncios e outras peças com storytelling não nos faltam. Veja que bacana essa animação criada para contar a história da Lego, em virtude dos seus 80 anos comemorados em 2012.

Lego, Coca Cola, Apple (representada por Steve Jobs), Nike, Natura. Será que só as gigantes podem fazer esse tal de storytelling?

Claro que não! É bem verdade que recursos de primeiro mundo ajudam a construir universos incríveis, mas aí é que tá: isso não é uma regra! O grande segredo, na verdade, está na criatividade, na capacidade de tocar o público-alvo a partir da identificação gerada e nos meios explorados para gerar envolvimento. Com a internet ficou bem mais fácil produzir e disseminar histórias, oportunidade que também está acessível às micros e pequenas empresas.

Quais as vantagens de usar o storytelling?

Embora já tenhamos explicado o conceito no post Storytelling na publicidade: Para atingir o coração do consumidor, é interessante ressaltar que a estratégia ajuda a agregar valor à marca, tornando-a única e maximizando suas possibilidades de se destacar no mercado. Segundo Jerome Bruner, renomado psicólogo e estudioso da psicologia cognitiva, um fato tem 20 vezes mais chance de ser lembrado quando está relacionado a uma história. Isso acontece porque as narrativas nos envolve, emociona e cria relevância.

Outra vantagem é que as pessoas tendem a passar adiante as histórias as quais tiveram acesso, o que no caso do storytelling contribui para o compartilhamento de vídeos, textos, e-mails, anúncios e outros materiais.

Mas como as MPEs podem contar histórias?

Bom, primeiramente, é preciso compreender bem o conceito e as formas de construção usadas pela técnica. Assista a seguir o vídeo com as explicações de Martha Terenzzo, professora da ESPM:

Não é preciso ir muito longe e criar um roteiro fantasioso de cinema. Todo mundo tem algo para contar. Com o micro e pequeno empreendedor não é diferente. Aliás, ele tem muitas experiências interessantes que podem e devem ser aproveitadas. Ele próprio é uma personagem com desafios a serem vencidos!

Ao invés de adotar uma linguagem institucional e banal, valorize essas histórias. Há muitas maneiras de contá-las, sem precisar fazer um filme hollywoodiano:

  • Conte a história da sua empresa na página “Quem Somos” do site. Construa bem a narrativa, conte fatos curiosos, complemente com fotos e frases de impacto;
  • Faça pequenos vídeos para mostrar essa história de como a empresa foi criada;
  • Publique vídeos no Youtube com a história de seus clientes e de como eles chegaram até você;
  • Troque a linguagem impessoal e corporativa empregada nas Mídias Sociais por uma pessoa de verdade, capaz de falar de suas experiências e de se relacionar diretamente com os usuários;
  • Elabore E-mail Marketing baseado em narrativas, nos quais você pode incluir links pertinentes;
  • Prepare e-books com dicas contadas por meio de histórias;
  • Conte um pouco da história em várias mídias de modo complementar, criando uma experiência maior de envolvimento (esse é o chamando Transmedia Storytelling).

Não esqueça que só produzir um material com sua história não basta. É preciso divulgá-la, compartilhá-la e promovê-la – as Mídias Sociais estão aí para isso!

Para saber se o storytelling realmente serve para a estratégia a ser adotada, siga a dica do Bruno Scartozzoni, diretor de planejamento da Ativa Esporte e professor da ESPM SP e ECA-USP:

“Uma regra básica para se considerar a aplicação da técnica é a seguinte: cabe o uso da emoção na mensagem que você quer passar? Se não couber, então storytelling não é a ferramenta mais indicada”.

Bem, as dicas estão aí. Agora saia da “história” e vá para a prática!

0
Categoria: Storytelling

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *