Erros em cartões de visita

O espaço disponível é pequeno, mas a vontade de impressionar é gigante. Esse contraste clássico diante dos cartões de visita é um grande perigo quando não bem-administrado.

Informações confusas, layout tipo “carnaval”, cores gritantes e dificuldade de leitura são alguns exemplos de problemas comuns que aparecem quando se deixa a elaboração do material em mãos amadoras. Muitas vezes a intenção é até boa, mas o resultado desastroso: o que definitivamente não vale de nada quando se deseja que o cartão realmente traga resultados.

Vamos relacionar a seguir em mais detalhes gafes recorrentes para que você possa se precaver melhor contra eles.

Erros em cartões de visita (comuns)

  • Poluição visual: Nossa, que confusão! A poluição em um cartão de visita pode se dar pela combinação de vários fatores, como: muitas imagens, textos em excesso, má diagramação, muitos elementos gráficos sobrepostos e cores mal harmonizadas. O resumo da ópera se traduz em uma peça escandalosa, de gosto muito duvidoso e, claro, ineficiente;

  • Letras muito pequenas: A pessoa para quem você entregou o cartão franziu as sobrancelhas e encolheu os olhos? Ih, essa é uma péssima resposta, pois ela demonstra que o seu material não é nada funcional, ou seja, apresenta entraves para prender a atenção, não sendo prático. Letras como fontes inapropriadas, como as do exemplo acima, também são prejudiciais nesse sentido;
  • Excesso de informações: Cuidado, cartão de visita não é currículo e nem portfólio, e muito menos uma espécie de minianúncio! Nele tudo deve ser muito objetivo, sucinto e claro. De modo geral, a função básica da peça é apresentar informações como seu nome e o nome da sua empresa (um pode vir na frente e o outro no verso), endereço, telefone, e-mail, site e logotipo;
  • Harmonização duvidosa: É preciso ser criativo sim, mas isso não pode ferir o bom senso e muito menos as regras essenciais da boa diagramação. Quanto menos elementos melhor, pois assim fica muito mais fácil desenvolver um cartão equilibrado, limpo e capaz de causar um impacto positivo;
  • Tipo de papel inadequado: Papéis muito flexíveis e frágeis definitivamente não são indicados. O material usado no cartão de visita tem de ser firme e resistente, pois só assim ele estará sempre pronto para ser consultado. É interessante também que o tipo de papel dialogue com o conceito da arte geral, por sua vez amparada pelo conceito da marca. Assim, se o seu negócio é do segmento de tecnologia, por exemplo, então materiais mais lisos e uniformes se encaixarão bem, diferentemente de papéis que remetam a algo artesanal;
  • Informações desatualizadas: Seu e-mail mudou, assim como o endereço da sua empresa e seu telefone? Então é hora de fazer outro cartão, pois esse que você mantém já não serve para nada, uma vez que as pessoas não poderão mais te encontrar com facilidade.

Apenas destacando, é possível inovar no cartão de visita sim! Trabalhar outros formatos, outros materiais e proporcionar experiências diferenciadas com a peça é totalmente possível, mas para isso é preciso deixar o seu desenvolvimento por conta de quem entende do assunto e tem competência suficiente para fazer algo diferente mas, ao mesmo tempo, funcional e de bom gosto.

Entre em contato com a Agência Fósforo, saiba como podemos te ajudar e acenda suas ideias sem o risco de escorregar no amadorismo.

Erros em cartões de visita não mais!

0
Categoria: Outras Soluções em Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *